domingo, 20 de janeiro de 2013

"QUEM É VOCÊ MEU FILHO?"


“E chamou Jacó o nome daquele lugar Peniel, porque dizia: Tenho visto a Deus face a face, e a minha alma foi salva.”   (Gn. 32:30)
A alma são os nossos pensamentos, vontades e emoções. Já seria muito difícil ser salvo se nossa alma fosse apenas nossos pensamentos. Pensamos em tantas coisas que desagradam a Deus, muitas vezes somos guiados por pensamentos errados. E, ainda temos nossas vontades, desejos incontroláveis, como disse o apóstolo Paulo: “Porque o que faço, não o aprovo, pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço (Rm. 7:15)”. E as emoções:  como seria bom se só sentíssemos amor, mas também sentimos ódio, raiva, mágoa, ressentimentos, inimizades, e ainda, vingança e morte.
Tudo Isto e muito mais está na alma, que quando não é controlada por Deus causa desastres em muitas áreas da vida, inclusive a ministerial e espiritual.
Jacó disse que viu a Deus face a face, teve um encontro com Deus, ou seja, uma experiência espiritual inesquecível. Um dos motivos da fraqueza espiritual e do desanimo ministerial está no fato do cristão não ter experiências espirituais com Deus. Ser abençoado não significa ter tido experiências com Deus, por mais milagrosa seja a sua benção. Pois, a falta deste encontro com Deus causa barreiras na vida do cristão e o impede de alcançar a plenitude da graça de Deus e o cumprimento das Promessas de Deus.
No caso de Jacó, ele possuía um defeito notório, era um enganador (Gn. 27:36). Ele se passou pelo seu irmão e enganou seu pai para ser abençoado, e foi abençoado (Gn. 27:28-29). Prova que, mesmo tendo pecados, e pecados muito sérios que impedem o cumprimento das Promessas de Deus, ainda assim, somos abençoados. Mas chegará um momento que ficaremos tão sufocados com os problemas que não adiantará mais mentir para Deus ou enganar a nós mesmos, e devemos responder com sinceridade as perguntas do Senhor a nosso respeito: “QUEM É VOCÊ MEU FILHO?” (Gn 27:18).
Devemos reconhecer nossos erros e assim o Senhor fará cumprir Suas promessas, além disso, e o mais importante, é que poderemos dizer como Jacó: tenho visto a Deus face a face e a minha alma foi salva. Ele fez esta afirmação após Deus ter cobrado dele mais uma vez perguntando seu nome: “E DISSE-LHE: QUAL É O TEU NOME? E ELE DISSE: JACÓ.”  (Gn. 32:27)
Agora ele abriu o coração e disse a Deus quem ele era realmente, reconheceu seu erro e teve o livramento que precisava no momento mais difícil de seu ministério. Vamos reconhecer perante Deus quem somos para o Senhor trabalhar nesta área e mudar a situação (como fez com Jacó mudando o seu nome) e ter experiências espirituais com Deus, pois, isto afasta todo desanimo ministerial e toda fraqueza espiritual.