quarta-feira, 29 de agosto de 2012

"NOVO MANDAMENTO: AMOR"



“UM NOVO MANDAMENTO VOS DOU:  QUE VOS AMEIS UNS AOS OUTROS, COMO EU VOS AMEI A VÓS, QUE TAMBÉM VÓS UNS AOS OUTROS VOS AMEIS” (Jo. 13:34)

          Para Jesus dizer: “NOVO MANDAMENTO”, certamente porque existia um “antigo mandamento”, que era seguido pelo povo de Deus. Mas qual era o antigo mandamento acerca do AMOR? Está escrito em Levítico 19:18 – “Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos de teu povo, mas amarás o teu próximo como a ti mesmo...”
          Aí está o antigo mandamento acerca do AMOR: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
          Mas agora vem Jesus dizendo:  “UM NOVO MANDAMENTO VOS DOU, QUE VOS AMEIS UNS AOS OUTROS ASSIM COMO EU VOS AMEI”.  Deu para perceber a diferença do antigo para o NOVO MANDAMENTO? O antigo é amar o próximo na medida que você se ama, ou seja, tudo que desejar para você, o mesmo desejaria ao seu próximo. Jesus, porém, disse para AMARMOS como ELE nos amou. E é sobre isto que vamos meditar:
          Amarás o teu próximo como a ti mesmo é o menor grau do amor, porque ele fala de um amor com limites. O máximo que eu poderia amar alguém era a medida com que me amasse. Então é baseado no amor que sentimos por nós mesmos, amar ao próximo desde que isto não implicasse em nenhum risco a nós mesmos. E pensamos que já é muita coisa!
          Na verdade, o próximo passou a ser nosso irmão... e todos devemos amar como se fossem da nossa família e AMAR como Jesus amou. Como foi que Jesus nos amou?
          Ele nos AMOU mais do que a Si mesmo. Neste grau de amor, nesta “temperatura” de amor... o EU desaparece. O AMOR de Jesus foi além de Si mesmo e esta é a reforma que devemos fazer, do NOVO MANDAMENTO. Quanto nós parecemos com Jesus? Quem pode obedecer ao Novo Mandamento? Quem pode AMAR como Jesus amou? Nós podemos !!!!! Deus nunca pediu algo que não pudéssemos fazer, então é possível amar alguém mais do que a nós mesmos. Um exemplo:  - temos um vizinho doente, e de madrugada esta pessoa precisa ser socorrida e alguém nos pede ajuda e mesmo cansados, só dormimos poucas horas e temos que socorrer ao vizinho. No amor do antigo mandamento: levaríamos este vizinho na porta do hospital, o deixaria lá, voltaria para casa e diria: Já fiz minha parte. No NOVO MANDAMENTO:  levaríamos ao hospital, e,  mesmo não sendo da família e tendo que entrar no trabalho às seis da manhã, ficaria no hospital toda a madrugada e se fosse liberado o traria de volta.
ISTO, é apenas um exemplo simples, DE AMAR MAIS DO QUE A SI MESMO.
          Quando dizemos que não temos  tempo, revelamos nosso egoísmo, por isso não temos obedecido o NOVO MANDAMENTO dado por Jesus. Se obedecermos este MANDAMENTO de Jesus acerca do AMOR além de nós mesmos, teremos não só recebido a Jesus em nossas vidas, mas também os Seus ensinamentos.


terça-feira, 7 de agosto de 2012

"A CONQUISTA DA TERRA"



“Eis aqui a terra que pus diante de vós; entrai e possuí a terra que o Senhor com juramento deu a vossos pais, Abraão, Isaque e Jacó, a eles e à sua descendência depois deles”  (Deuteronômio 1:8).

          Como pode Deus declarar que “A TERRA É VOSSA” e depois desafiar: “ENTRAI E POSSUÍ A TERRA”. Afinal a terra era ou não de Israel? Era. Mas Israel teria que conquistá-lá.
“O DAR É DE DEUS E O POSSUIR É DO HOMEM”
          Temos a seguinte conclusão: “O que é nosso por direito de promessa ou de aliança, não é usufruído automaticamente”. Deus dá, mas compete a mim possuir e conquistar. O dar é de Deus mas o possuir é nosso!
          Suponhamos que alguém lhe deu um presente: abriu uma caderneta de poupança no seu nome. Acontece que você não tomou conhecimento do fato. Você está passando necessidades e aquele dinheiro seria mais que suficiente para satisfazê-las. Pergunto: Aquele dinheiro em seu nome no banco lhe pertence? Claro que sim. Resolveu seu problema? Não! Por que? Falta-lhe o conhecimento. Vamos agora imaginar uma outra situação: você tomou conhecimento da generosidade daquele que lhe deu o dinheiro, entretanto, por alguma razão você não vai ao banco retirá-lo. Pergunto: Aquele dinheiro afeta sua circunstância? Não! Para que ele supra suas necessidades duas coisas são necessárias, e elas caminham juntas: TOMAR CONHECIMENTO do que lhe pertence e LANÇAR MÃO disso. Em outras palavras: SABER e TOMAR POSSE.
          A nossa ignorância (falta de conhecimento) dos princípios divinos, expressos na Palavra de Deus, é que nos torna presas vulneráveis ao inimigo, que, tudo faz para manter-nos em confusão, para que ele nos possa roubar mais facilmente o que é nosso por direito, mantendo-nos como escravos, quando somos príncipes; mendigos, quando somos filhos do Rei; vencidos, quando a vitória é nosso direito. Chegou, porém, a hora de os nossos olhos serem iluminados pela Revelação da Palavra de Deus, lançarmos por terra as prisões satânicas, subjugarmos os gigantes da terra e entrarmos na plena posse de nossa herança em Cristo.
          Estabeleçamos um fato: A TERRA SERÁ CONQUISTADA PELA BATALHA. Há uma conquista. A terra é minha por direito de herança, de promessa, mas compete a mim conquistá-lá, e o modo de fazê-lo é pela batalha. Nosso espírito é recriado pelo Espírito de Deus, mas há áreas da alma que precisam ser conquistadas. Existem batalhas a serem vencidas do lado de fora e pelo lado de dentro.


“Valnice Milhomens”