segunda-feira, 22 de julho de 2013

"A MALÍCIA"

 Efésios 4:31
“Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmias e toda a malícia seja tirada de entre vós”.
          Nenhuma destas características nasceram com o ser humano, vieram de fora para dentro. Diferente de temas como: a inveja e o medo.
          Ninguém é amargurado se nenhuma circunstância o conduza a isso; ninguém se ira se não for motivado; ninguém discute ou xinga se não for provocado; a gritaria conhecida como “barraco” só acontece mediante provocações; a blasfêmia acontece quando não há temor a Deus. O malicioso aprende a ser assim tendo como base a maldade.
          Maliciosos e ingênuos não podem ocupar o mesmo espaço e muito menos viver em harmonia, porque este último sempre ficará em desvantagem. Há uma música que diz: “malandro é malandro e Mané é Mané”, os malandros (maliciosos) humilham e tiram proveito da situação.
          Não posso concordar que a malícia é motivada apenas pelo ódio, minha opinião é que nem sempre os maliciosos carregam esta ruim característica, mas, de qualquer forma, todos possuem uma má índole.
          É muito ruim conversar com uma determinada classe de maliciosos, suas palavras são sempre de duplo sentido, sua mente é poluída, ou seja, pervertida. Antes de dizer qualquer palavra a eles você tem que pensar muito no que vai falar, e, mesmo assim são criativos e arrumam um jeito de constranger e levar  vantagem sempre.
          Com relação ao sexo oposto, o malicioso, seja homem ou mulher, tem sempre um olhar de deboche, de sedução, com palavras de duplo sentido, intensionado a desviar a conduta de alguém. Suas piadas são carregadas de veneno... a princípio, parecem estar falando sério, querendo ajudar, mas em seguida se descobre que não passa de uma maneira para tirar vantagem. Também usam roupas que chamam atenção e, nem sempre porque querem algo como uma atitude de inveja ou ciúmes, mas fazem isso só para provar sua teoria em sua mente poluída, tendo a intenção de destruir casamentos e relacionamentos para provar que não há felicidade no matrimônio. Amigos e parentes quebram a cara nos negócios e projetos enganados pelos maliciosos, que duvidam existir vida honesta.
          Outra característica de mais uma classe de maliciosos é torcer as palavras. Uma interpretação errada e divulgada compromete a estabilidade emocional, profissional, familiar e espiritual de uma pessoa. Suas palavras maldosas podem convencer a muitos, e também podem ser extremamente simpáticos, sempre sorrindo, muito “dado” às pessoas, todos gostam de conversar com ele(a), mas também com intenções maliciosas. É o bam-bam-bam... sempre tem tudo sob controle, e está por dentro da situação, entende de tudo e tudo tem explicação em sua mente maldosa que atende seus interesses, como os egoístas, mas com uma pitada de maldade.
          Sendo assim, podemos considerar impossível que um(a) malicioso(a) consiga ser um(a) cristão(ã) verdadeiro(a), pois, sempre quer levar vantagem, e tudo faz para seu proveito próprio. Seus conceitos é que valem.
          A Palavra de Deus nos ensina a amar incondicionalmente, sem querer nada em troca. Claro que existe cura para malícia... como comentamos no início, ninguém nasce assim. Basta querer a mudança de vida que está em Jesus. Nosso Senhor é especialista em TRANSFORMAÇÃO DE VIDA, mesmo que seja radical como a água que virou vinho.
Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo; 2 Coríntios 10:5


2 comentários:

  1. Paz! Gostei do seu blog e estou seguindo, te aguardo lá no meu http://gospelcards.blogspot.com.br/

    abraços!!!

    ResponderExcluir
  2. Boa reflexão irmão Marcelo, bem profundo, Deus abençoe.
    COnvido a conhecer e seguir meu blog, ele é de outro gênero mas também trata de assuntos cristãos.
    Fique na paz de Cristo!

    http://ezequiel-domingues.blogspot.com.br/

    Ezequiel Domingues dos Santos

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário... Deus te abençoe! Compartilhe este blog e dê sugestões de publicações. Abraço!

Marcelo Donisete