sábado, 20 de junho de 2015

BIBLIOLOGIA - LIVROS POÉTICOS



          São chamados poéticos não porque sejam cheios de imaginação e fantasia, mas devido ao gênero do seu conteúdo. Alguns também os chamam de !LIVROS DEVOCIONAIS".

1. O LIVRO DE JÓ - o padrão claramente desenvolvido do livro de Jó, prólogo, discursos e epílogo, alem dos ciclos dentro dos próprios discursos, mostra que se trata de uma interpretação teológica sobre certos acontecimentos da vida de Jó. Do início ao fim, o autor tem a intenção de responder a uma pergunta básica: Qual é o significado da fé? Jó era um chefe de clãs (famílias) de notável piedade, integridade e sabedoria, foi abençoado por Deus com uma prosperidade terrena tal, que se tornara o maior e mais rico de todos no Oriente. Este livro serve de um propósito muito alto para as nossas vidas: mostrar que a certeza da fé não descansam nas circunstâncias exteriores, nem em explicações especulativas, mas na certeza da fé em Deus, onisciente e onipotente.

2. O LIVRO DOS SALMOS - o título hebraico dos salmos é Tehillim, que significa "louvores". A música desempenhava papel de importância no culto do antigo Israel; os salmos eram os hinos do povo de Israel. Bem diferente de boa parte da poesia e do cântico do mundo ocidental, compostos com rima ou metrificação, a poesia e o cântico do Antigo Testamento tem por base o paralelismo de pensamento, em que a segunda linha (ou linhas sucessivas) da estrofe praticamente faz uma reiteração (paralelismo sinônimo), ou apresenta um contraste (paralelismo antitético), ou, de modo progressivo, completa a primeira linha. O salmo mais antigo vem de Moisés, os mais recentes são dos séculos VI e V a.C.

3. O LIVRO DE PROVÉRBIOS - este livro representa a sabedoria inspirada dos sábios. A palavra hebraica mashal, traduzida por "provérbio", tem os sentidos de "oráculo", "parábola" ou "máxima sábia". Por isso, há declarações longas no livro de Provérbios, mas há também as concisas, mas ricas de sentido e sabedoria, para se viver de modo prudente e justo.

4. O LIVRO DE ECLESIASTES - sintetiza a "sabedoria", ou seja, observações, pensamentos e sentenças, de um filósofo que se oculta sob o pseudônimo de Coélet, "presidente da assembléia" (Eclesiastes em grego). Tal gênero de escrito era popular nos países antigos do Oriente Médio. O autor examina a vida humana, julga-a breve e absurda, concluindo que ela não tem sentido. Não consegue entender para que serve. Contudo, termina recomendando a aplicação ao trabalho e o gozo do prazer enquanto a vida dura.

5. O LIVRO DE CANTARES DE SALOMÃO - é uma coleção de poesias amorosas, que cantam o amor de um homem e de uma mulher. Às vezes é chamado de cântico de Salomão", porque na Bíblia hebraica é atribuído a esse rei. As poesias, cujo cenário é o campo na primavera, exaltam com paixão e entusiasmo o amor e exprimem com franqueza o prazer da atração física.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário... Deus te abençoe! Compartilhe este blog e dê sugestões de publicações. Abraço!

Marcelo Donisete