segunda-feira, 25 de maio de 2015

"BIBLIOLOGIA - LIVROS HISTÓRICOS"



São 12 os livros históricos. Esta seção, que na Biblia hebraica vai de Josué a Ester, abrange o tempo da conquista, o tempo dos reis, o exílio e o retorno. Estes livros foram escritos não simplesmente como história da nação, mas para mostrar como o plano e a mensagem de Deus foram cumpridos na vida de Israel.
1.     LIVRO DE JOSUÉ – Conta como Israel invadiu Canaã sob o comando de Josué, sucessor de Moisés. Os caps. 1-12 falam da conquista de Canaã, ocorrida provavelmente após 1240 a.C. Estas narrativas poderão ter sido escritas pela primeira vez na época de Samuel, embora o livro como um todo seja parte da grande “história deuteronômia”, que vai de Josué a II Reis. Não sabemos quem escreveu o livro.
2.     LIVRO DE JUÍZES – É uma coletânea de narrativas referentes aos dois séculos turbulentos, que vão desde o tempo da conquista de Canaã até pouco antes da coroação do rei Saul, isto é, aproximadamente 1200 a 1050 a.C. Juízes eram heróis locais das tribos de Israel, geralmente chefes militares, cujos feitos são narrados no livro.
3.     LIVRO DE RUTE – A idílica história de Rute contrasta com os tempo violentos do livro dos Juízes em que se situa. Rute, mulher moabita, desposara um israelita. Quando o marido morreu, ela demonstrou inesperada lealdade para com a sogra israelita e confiou no Deus de Israel. Por fim encontrou novo marido entre os parentes do falecido esposo e através deste casamento tornou-se bisavó do rei Davi e antepassada do próprio Jesus.
4.     PRIMEIRO E SEGUNDO SAMUEL – Estes dois livros narram a história de Israel desde Samuel até os últimos anos de Davi. Tomam o nome do ultimo grande juiz, Samuel, não porque este os escreveu, mas porque a sua figura domina os primeiros capítulos. Originalmente era um único livro na Bíblia hebraica, os dois cobrem aproximadamente o período de 1075 a 975 a.C.
5.     PRIMEIRO E SEGUNDO REIS – Os dois livros dos Reis abrangem cerca de 400 anos da história de Israel, desde a morte de Davi até a destruição de Jerusalém em 587 a.C. Não sabemos quem foi o autor deles, mas à semelhança de II Samuel, é certo que contém informações tiradas de documento da corte, contemporâneos aos fatos descritos. Provavelmente, passaram por várias edições e revisões até receberem sua forma final durante o exílio em Babilônia (587-539 a.C.).
6.     PRIMEIRO E SEGUNDO CRÔNICAS – À primeira vista os livros das Crônicas parecem uma repetição simplificada dos livros de Samuel e dos Reis. Na verdade, o autor reescreve a história para leitores que já conheciam esses livros, mas tinha dois motivos principais para dar sua própria versão da história dos reis de Israel. Queria mostrar que, apesar dos desastres que atingiram Israel, Deus mantem a Sua promessa de cuidar do Seu povo.
7.     LIVRO DE ESDRAS – Este livro continua diretamente as Cronicas e descreve a volta de parte dos judeus exilados de Babilônia. Estes trouxeram um pouco de vida e a restauração do culto em Jerusalém. A narração cobre aproximadamente os anos 583 a 433 a.C. Parte da obra reproduzem talvez trechos escritos pelo próprio Esdras.
8.     LIVRO DE NEEMIAS – Um exilado judeu que teve permissão do rei persa Artaxerxes de voltar com um grupo de judeus a Jerusalém em 445 a.C. O livro que tem o seu nome, escrito como memória pessoal, apresenta-o como líder nato e pessoa que confiava plenamente em Deus e para quem orar era coisa tão natural como respirar.
9.     LIVRO DE ESTER – A história enquadra-se na época de Esdras e Neemias, ou seja, no período persa. Fala de conspiração urdida no reinado de Assuero (Xerxes) para destruir a raça judaica. Uma heroína judia de nome Ester torna-se a rainha dos persas e com a sua coragem consegue salvar o seu povo. O livro mostra como a nação judaica, mais uma vez, foi salva da destruição e explica a origem e a significação da festa judaica do Purim (que celebra esta salvação). Em alguns pontos, o texto grego é mais longo que o hebraico.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário... Deus te abençoe! Compartilhe este blog e dê sugestões de publicações. Abraço!

Marcelo Donisete